Blog

Demanda por crédito das empresas cresce 3,4 pontos em julho.

Postado em: 31 de Agosto de 2018

Após um período de retração, o mercado começa a dar sinais de retomada das concessões de crédito. Cenário que vem resultando no aumento da demanda das micro e pequenas empresas do varejo e serviços (MPEs). Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostram que, entre junho e julho, o indicador que mede a intenção de contratar crédito registrou alta de 3,4 pontos. Em uma escala de zero a 100, o resultado de junho foi de 22,8 pontos, o valor máximo desde o início da série histórica.
Já na comparação com os meses de julho dos anos anteriores, houve um aumento no apetite por crédito. Em julho de 2017, o índice estava em 11,3 pontos, ao passo que no mesmo período de 2016 ficou em 10,8 pontos. Pela metodologia, quanto mais próximo de 100, maior é a probabilidade de os empresários procurarem crédito e quanto mais próximo de zero, menos propensos eles estão para tomar recursos emprestados.

Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, a recuperação gradual da economia já resulta em um quadro mais positivo. “A partir do momento em que observarmos maiores quedas reais dos juros, haverá um estímulo maior para a contratação de crédito nas empresas. Hoje, a confiança na retomada ainda é tímida, no entanto enxergamos nos setores do comércio e serviços vendas melhores”, afirma o presidente.

Em termos percentuais, 14% dos micro e pequenos empresários consideram a possibilidade de contratar crédito pelos próximos três meses. Entre esses, 37% pretendem usar para capital de giro, 22% buscam recurso externo para pagar dívidas, 20% para reformar empresa e 18% para comprar equipamentos e maquinário.

No entanto, 73% descartam a possibilidade de contratar crédito no terceiro trimestre, sobretudo por acreditarem que conseguirão manter o negócio com recursos próprios (53%) e porque consideram as taxas de juros muito altas (30%). Além desses, 25% disseram estar inseguros com as condições economicas do país.

Entre os empresários que pretendem tomar crédito nós próximos meses, 42% planejam contrair empréstimo, 17% buscam financiamentos e 10% querem contratar cartão de crédito empresarial. Em média, o valor a ser emprestado será de 35,887 mil reais. “Quando o ambiente de negócios estiver mais estável e com melhores perspectiva de consumo, enxergaremos um maior crescimento da demanda por crédito e investimento dos micro e pequenos empresários”, observa o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Outro indicador mensurado pela CNDL e pelo SPC Brasil é o de Propensão a Investir. Em julho, o índice marcou 40,9 pontos. O setor de serviços apresentou maior interesse em investir (42,0 pontos) do que o varejista (39,9 pontos). Na comparação anual, isto é, com julho de 2017, o indicador avançou 13,2 pontos. Pela metodologia, quanto mais próximo de 100 pontos, maior o apetite do MPE para investir nos próximos três meses; quanto mais distante, menor o apetite.

De acordo com o levantamento, a intenção de investir avançou na passagem do ano, mas tem se mantido praticamente estável nos últimos meses, como reflexo das incertezas eleitorais. Quase metade (49%) afirmou que não pretende aplicar recursos para promover melhorias em seus negócios nos próximos 3 meses. A principal razão é o fato do país não ter se recuperado da crise até o momento (37%), enquanto 35% afirmaram não ver necessidade. Além desses, 20% disseram ter realizado investimentos recentemente e aguardam retorno dos recuros aplicados.

Por outro lado, 34% dos empresários sinalizaram que pretendem investir no próximo trimestre, principalmente para aumentar as vendas (60%) e atender ao crescimento da demanda (22%). Entre os investimentos prioritários, destacam-se a compra de equipamentos e maquinários (25%), ampliação do estoque (24%), mídia e propaganda (23%) e reforma da empresa (23%).

(Redação – Investimentos e Notícias)

http://www.investimentosenoticias.com.br/noticias/economia/demanda-por-credito-das-empresas-cresce-3-4-pontos-em-julho




Postagens
mais recentes

20SET18
+
Dívidas judicializadas de clientes com os Correios chegam a mais de R$ 100 mil no AP.

Estatal iniciou programa de renegociação de dívidas contraídas pelos clientes. No Amap&a...

20SET18
+
Corinthians não paga dívida de R$ 3,9 mil com empresa de marmitas e volta a ter contas bloqueadas, diz jornal.

O Corinthians voltou a ter suas contas bloqueadas pela Justiça de São Paulo. A edição desta quin...

18SET18
+
Demanda por crédito tem alta de 3,8%.

A quantidade de pessoas que buscou crédito avançou 3,8% em agosto deste ano em relação ao m&ecir...

17SET18
+
Ações judiciais por inadimplência em condomínios crescem em SP.

Texto: Yuri Soares De acordo com levantamento do Secovi-SP, 1.093 processos foram apurados em agosto, contra 951 no ...

17SET18
+
Receita Federal notifica 716 mil empresas do Simples Nacional para cobrar dívidas que somam R$ 19,5 bilhões.

Empresas que não regularizarem situação serão excluídas do Simples Nacional (regime simpl...

13SET18
+
Vendas do varejo e inadimplência expõem economia sem condições de arranque.

Cida Damasco 13 Setembro 2018 Está difícil identificar algum sinal favorável d...

06SET18
+
Correios voltam a renegociar dívidas com clientes.

Em dezembro de 2017, a empresa tinha um total de R$ 1,2 bilhão para receber. É a segunda vez que a est...

30AGO18
+
Número de empresas inadimplentes cresce 9,38% em julho.

O número de empresas com contas em atraso e registradas nos cadastros de inadimplentes cresceu 9,38% em julho de 2018...

26AGO18
+
O que é inadimplência e como ela afeta sua vida?

Manter o nome limpo facilita na realização dos sonhos e objetivos O Brasil tem milhões de consu...

17AGO18
+
Inadimplência das empresas diminui 15,0% no acumulado em 4 trimestres, diz Boa Vista SCPC.

A inadimplência das empresas em todo o país caiu 15,0% no acumulado em 4 trimestres, de acordo com dados nacion...

17AGO18
+
Justiça defere pedido de recuperação judicial do Grupo Abril.

Empresa demitiu 800 funcionários. Advogados explicam como o processo afeta o recebimento de verbas trabalhist...

13AGO18
+
Inadimplência de micro e pequenas empresas bate novo recorde em junho, diz Serasa.

Em junho, eram 5,174 milhões de MPEs com dívidas atrasadas, alta de 1% na comparação com...